O processo de digitalização da sociedade e da economia como um todo tem gerado uma transição dos processos tradicionais para procedimentos que exigem o uso constante de tecnologia, fazendo com que as empresas, sejam grandes ou pequenas, imersas em muitas mudanças organizacionais e adotem novas metodologias de trabalho para se adaptar e permanecer competitivas.

As pessoas são o motor de mudança

O principal desafio para a transformação digital das organizações não é inovar, mas sim saber se adaptar e acompanhar a equipe na mudança para poder enfrentar as mudanças do presente e do futuro, por isso os departamentos de RH têm mais peso estratégico nas organizações para responder às necessidades de digitalização e otimização organizacional assumindo o papel de “embaixadores da mudança” chave para divulgar e implementar estes processos de transformação, bem como para acompanhar e integrar a equipa de profissionais ao longo deste processo.

Desde Digit-a queremos compartilhar como empresas líderes de mercado em suas respectivas áreas de serviços estão vivendo e enfrentando a transformação digital da área de RH, como nosso parceiro JAGGAER, líder mundial em tecnologia para gestão de compras e suprimentos, com mais de 20 escritórios internacionais e mais de 20 anos de experiência na área de compras e suprimentos em todos os tipos de setores (Aeronáutica, Bancário e Financeiro, Saúde, Segurança, Automóvel, Telecomunicações, Utilities, Educação, Indústria, Alimentos).

Entrevista sobre o papel do RH no processo de transformação digital com Alejandra Zurita, chefe de RH da JAGGAER

Alejandra Zurita

Dígito-a: Como lida com a incerteza e a mudança constante na área de RH?

Alejandra Zurita: O ano que passou foi sem dúvida um ano desafiador, no qual tivemos que nos adaptar a uma nova forma de trabalhar; passando do trabalho presencial ao teletrabalho 100%. Na JAGGAER priorizamos a segurança dos nossos colaboradores e felizmente, tínhamos as ferramentas para podermos enfrentar a mudança sem problemas desde o primeiro dia de encerramento dos nossos escritórios. Sendo assim, uma semana antes da decretação do Estado de Alarme para todas as nossas forças de trabalho estavam a trabalhar desde casa.

Digit-a: Quais iniciativas você realizou para transformar os processos internos e externos de RH por meio da digitalização?

Alejandra Zurita: Tanto os clientes quanto os funcionários da JAGGAER assumiram uma cultura de digitalização que é percebida no nosso trabalho diário. Há duas décadas que transmitimos esta filosofia no exterior e internamente, agilizando processos e tarefas manuais e substituindo-as por ferramentas tecnológicas. No caso da área de RH, realizamos a digitalização, eliminando gradativamente o uso de papel para evitar a recepção física e a impressão de currículos, ou por exemplo, utilizando novas ferramentas de contratação de pessoal como redes sociais, no nosso caso, LinkedIn.

Digit-a: Conta com alguma ferramenta de otimização organizacional?

Alejandra Zurita: Temos uma Intranet, chamada JAGnet, onde todos os departamentos têm seu espaço, desta forma criamos um ambiente colaborativo e transparente com toda a organização. Neste momento de pandemia, o Teams tornou-se uma ferramenta fundamental para manter o contacto com o resto da equipa e colocar-nos à disposição dos nossos colegas como se estivéssemos no escritório. Como o SharePoint, que tem sido a chave para compartilhar documentos e informações e torna o trabalho colaborativo muito mais fácil para nós. Por outro lado, não podemos esquecer as Newsletters que nos mantêm a par dos últimos acontecimentos da empresa e que vamos ao encontro das novas contratações.

Digit-a: Quais vantagens competitivas alcançou com a digitalização de RH?

Alejandra Zurita: As principais vantagens são a agilidade e a redução dos tempos de resposta. A padronização e automação de processos e atividades optimizam recursos para poder alocá-los em outras áreas onde a nossa empresa possa agregar mais valor e obter novas vantagens competitivas. Também no RH, isso nos permite eliminar tarefas burocráticas ineficientes e cada área e / ou pessoa tem mais tempo para se concentrar em sua atividade principal.

Dígito-a: Quais as novas experiências de clientes e funcionários criou?

Alejandra Zurita: Um projeto excepcional foi criado a partir de uma necessidade social chamada “Projeto de Equidade Humana”. A JAGGAER trabalha pela igualdade, independentemente de raça, sexo e religião.

Da mesma forma, são organizadas “sessões de aprendizagem” nas quais existe a oportunidade de aprender além do trabalho, por exemplo: sobre outros países, oficinas de mindfulness, oficinas para ajudar os pais a se reconciliarem nestes momentos excepcionais, etc …